Quem sou eu

Eu sou eu, meus eus e os seus.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010


" É difícil falar de alguém que nós, a turma de Psicologia UFC 2009, conhecemos pouco. O Ederson esteve poucas vezes com a gente, já que ele assistiu a disciplina de Seminário de Introdução ao Curso de Psicologia com a nossa turma, e às sextas- feiras, ele tinha aula de fundamentos de Anatonomia para Psicologia conosco. mas, exatamente por ele ter " entrado" com a nossa turma e ter contado o seu histórico, ainda que superficialmente, no seminário, nós achamos que ele criou um vínculo maior com a nossa turma do primeiro semestre do que com as dos outros semestres que ele tinha aula. Apesar de não ter tido muitos amigos, ele conseguia mostrar aos poucos que o conheciam e que ele trocou algumas palavras que era uma pessoa muito simpática e, que apesar dos problemas, era bem  humorado e arrancava até algumas risadas de quem conversava com ele. Infelizmente, o contato foi pouquíssimo, mas o baque que o seu falecimento trouxe a nossa turma não tem tamnaho. Todos nos unimos para tentar fazer algo por ele e por vocês, a família e amigos, para que todos nós tivéssemos um pouco de consolo e pudéssemos nos solidarizar com vocês. Dentre os feitos, conseguimos o endereço dele aí em Santo Ângelo, isto é, da família, para que enviássemos essa correspondência e vamos todos na missa no sábado para rezar po ele, por sua alma, por voc~es e tudo mais que esteja relacionado a ele. Nós podemos imaginar o quanto está sendo difícil. Algumas pessoas na nossa turma já perderam entes queridos e estão tentando ajudar a acalentar quem ainda está em choque ( como eu que estou escrevendo a carta). Igualmente difícil  de aceitar está sendo de entender e achar motivos quaisquer para que essa fatalidade tenha acontecido, ainda que todos pareçam mínimos diante de que ele fez. Na nossa turma, particularmente, somente duas pessoas tinham contato maior com ele. A Nara, que sou eu que estou escrevendo essa parte da carta, e o Diego, que também escreve a outra parte. O Ederson conversou um pouco com nós dois sobre o que estava passando, mas eu, Nara, não pensei que fosse tão profundo e tão forte o que ele estava sentindo. Quando eu tive oportunidade de saber um pouco mais sobre a vida dele (sexte- feira, dia 28/08), nós estávamos aqui em casa e eu o escutei falar sobre seu histórico até chegar aqui no Ceará, as dificuldades pelas quais estava passando com a falta da família, a falta de amigos na faculdade, a pressão dele próprio com relação aos estudos e tudo mais que ele achasse ruim. Mas o que ele repassou é que estava lutando para que esta má fase passasse e, para isso, queria fazer novas amizades, sair, descontrair e esquecer um puco o que o atormentava. Infelizmente, ele não tem mais problemas para atormentá- lo, mas nós que perdemos alguém que só trazia felicidade e nenhum problema.
As palavras começam a faltar e, seguindo o caminho inverso, a saudade e a nostalgia só aumentam. Tristeza, com certeza nós todos sentimos, mas só de saber que ele está em um lugar melhor, isso já confota um pouco o coração da turma. desejamos que todos que o amavam aí também pensem isso e, assim como nós, tenham o tempo como aliado para que ele possa unir os bons momentos que ele nos proporcionou à tristeza que sentimos. Desejamos à família e amigos paz e compreensão para com o momento.
São os votos da Turma de Psicologia UFC 2009.2"


Fortaleza, 31 de agosto 2010.
                 Sr. e Srª Kilian,
                  faz quase um ano do falecimento do Ederson, filho de voc~es e meu antigo colega de sala na faculdade de Psicologia na UFC. Fui uma das poucas pessoas com quem ele pode falar mais abertamente sobre os problemas pelos quais estava passando. Na sexta, anterior ao sábado, dia do seu falecimento, ele almoçou em minha casa e me contou sobre as dificuldades que sentia por ter de estudar longe de casa e da família e todos os problemas que isso acarretava. estando no primeiro semestre da faculdade, não poderia em teria como perceber que ditos problemas estavam- o mais angustiado de que qualquer outro poderia deixar. mal sabia eu que seria a última vez que eu o veria. Ao saber de seu falecimento, o choque foi grande o bastante para eu acreditar piamente que iria encontrá-lo por muito e muito tempo. No dia seguinte à confirmação do falecimento, o professor Gustavo Moura fez uma pequena celebração de partida, para que pudéssemos nos despedir, já que o velório aconteceu aí. O que mando é o principal fruto dessa celebração: três cartas, papéis com palavras de acolhimento e que gostríamos de dizer a ele, envoltos em um tecido cheio de mensagens de carinho.
         Peço mil desculpas po não ter enviado os tais objetos antes. Tentei conseguir o dinheiro para mandar via correio com a turma, mas a tentativa foi em vão.
         Mando agora na esperança que seja mais uma coisa boa para ser lembrada, e muito bem, do nosso querido Ederson.
                                                                                   Nara Silveira Remígio


      Nara, agradecemos sua iniciativa e transmita para toda turma da Faculdade de Psicologia 2009.2 o nosso carinho e ao professor Gustavo Moura o nosso respeito. No momento estamos comovidos pela homenagem e o nosso silêncio é sentido no acolhimento de seres humanos como vocês.
                                                                                  Família Kilian

7 comentários:

nininadodinha disse...

Senhora Eunísia, foi uma grande emoção ver que a senhora postou minhas duas cartas no seu blog para todos que acessem o blog tanto aí em Santo Ângelo quanto em qualquer outro lugar possam vê-las. Sinto-me aliviada por ter entregue o tal fruto aos verdadeiros donos. Agradeço desde já pela consideração em ter ligado. Creio que a turma ficará feliz ao saber que o que preparamos chegou exatamente um ano depois de termos feito (soubemos a notícia no dia 08/09 e a celebração foi feita no dia 09). Obrigada mais uma vez =)

Eunisia disse...

Nara,o material todo está no baú juntamente com livros, cds, monografia de colocação de grau,publicações que ele editava no Jornal das Missões, será colocado juntamente com ele, na capela da família( está em fase de projeto).
Carinhosamente,
Eunísia

Anônimo disse...

Me sinto realizada ao saber que algo tão simples, mas tão significativo também o é para vocês. Assim que for possível, pretendo ir até Santo Ângelo conhecê-la e a sua família e matar um pouco da saudade do Ederson vendo as coisas dele e as demonstrações de carinho dos amigos e familiares - e revê a da nossa turma

Nara

Eunisia disse...

Nosso lar também congrega amigos e conhecidos dos nossos filhos. Já tivemos encontros latinos.

RODRIGO KILIAN disse...

MUITO OBRIGADO UNIVERSO E A MEU BOM DEUS, ADEUS MEU IRMÃO, TE AMO MUITO, LOGO NOS VEREMOS MAS NÃO AGORA

Eunisia disse...

Tenha certeza meu filho, Rodrigo, temos muitas coisas para realizar aqui, viagens, estudos, aprender passos do tango,quem sabe até sambar ao luar, com os encantos dos pirilampos. AMO VOCÊ! AMO O YURI E SEMPRE AMAREI TEU IRMÃO!!!O UNIVERSO CONSPIRA EM NOSSO FAVOR! AMAMOS A VIDA!!!

Anônimo disse...

Hoje dia, dia 28 de fevereiro de 2012, depois de muito muito tempo mesmo eu resolvi visitar um amigo querido de infância... Lembro-me da sua proatividade e coragem, sempre liderando as brincadeiras... Comunicativo sempre chamava a atenção de todos ao seu redor... Muita diversão e momentos felizes passei junto desse meu querido amigo e de sua família que sempre me acolheu muito bem... Infelizmente o tempo fez com que de certa forma nos esquecessemos de tudo isso, dando espaço a distância. Não nos falavamos ha muito tempo... Então hoje, fomos ao endereço, eu, minha mãe e minha sobrinha... Era por volta de 18h... não nos deram a localização exata então nos separamos, um pra cada lado na tentativa de encontra-lo mais depressa... Mas parece que ele queria que de fato eu o encontra-se primeiro... Gritei... Mãe! Achei ele... e nos juntamos ao redor dele para conversar... Enquanto minha mãe e minha sobrinha conversavam, comecei a conversar com este meu querido amigo: Mano, eu sinto muito por não ter estado mais presente na tua vida, sei bem como é sentir falta de um amigo, e muitas vezes infelizmente não sei porque, precisei de alguém para conversar, desabafar e nunca me ocorreu de te procurar... Mano, hoje te vendo, creio que perdemos muito tempo, sinto muito por não ter preservado nossa amizade na adolescencia e vida adulta... Mas saiba que a partir de hoje vou reservar sempre um momento que estiver por perto para vir aqui de dizer oi e contar como anda a minha vida... Muita saudade de vc meu querido, que Deus ilumine nossas almas... Você estará sempre no meu coração... Até logo...

Tia Kika, perdoe-me por não ter feito contato contigo ainda... Saudades de vcs... Abraços...
Alvaro Marcelo Vieira Iglesias
o simplesmente o Marcelo da Adelia...