Quem sou eu

Eu sou eu, meus eus e os seus.

quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

2010

Gostaria de compreender o meu eu, mas está sendo muito difícil.
Tentei entrar e encontrar meu mestre no templo para solicitar algumas palavras de sabedoria e não o encontrei. Pelo labirinto,  procuro a saída ou alguma alternativa para comemorar a passada do ano. Terá fogos de artifícios, espumante, lágrimas e muitos abraços. Sei que neste momento não serei eu mesma. Terei saudade de uma parte minha que se foi... mas lá estarei eu com os meus eus rumando para 2010. E abraçarei aos que estarão ao meu lado na gratidão e na sensibilidade pelos caminhos percorridos juntos.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Vulneravelmente Robótico


Irei ou não poetar minha cidade?
Não sei politicar- talvez fosse politicar...
Homem e mulher, faces dúbias,instigando para fugir dos meus princípios
para garantir meu espaço
tornando-me um ser egoísta, egocêntrico.


Mãos ocultas, cabeças indesejáveis; humanos?
Traduzindo o odor fétido da podridão mental,
parasitas somos todos, soldados da globalização
na obstrução da cultura raíz
no cotidiano vulneravelmente robótico.


Irei ou não poetar minha cidade
com a alma ingênua, tão pequena
na vastidão dos mistérios ocultos?
Engrenados são os seres humanos
numa marcha social, política e econômica
congregados na hierarquia da ilusão,
ser um dia, o homem cidadão.

sábado, 19 de dezembro de 2009

Estou maluca ou sempre fui?



Hoje amanheci com pensamento em Carlos Drumond de Andrade...havia uma pedra no meu caminho...no meu caminho havia uma pedra...Conflitos existenciais todos nós temos. Mas a pedras no caminho seriam iguais para todos?

A minha pedra é para ladrinhar o caminho para meu eu passar e é branca.
Mas tenho encontrado algumas pedras negras nas quais tropeço e quase não consigo levantar ( não sou contra pedras de cores negras até tenho um anel com uma pedra desta cor), procuro olhar para frente, para o lado direito, para o lado esquerdo e para trás.

Tento fugir para o meu mundo microcosmo, pois lá eu sei que todas as pedras encontradas em meu caminho serão para sentar e ficar observando o mundo da qual faço parte.

Conflitos misteriosos, seres humanos tão perto e distantes ao mesmo tempo, acordos mundiais não acontecidos. Acreditar no sonho onde não existe mais ética não é fácil.

Estou querendo voltar aos tempos de criança, das bolachas pintadas coloridas lá de Manchinha, perto de Três de Maio no casarão dos Hetwer, do tocar da gaita de boca do tio Balz, do ritmo do violão do Jorge, dos ensaios do conjunto musical regrados de cuca e linguiça,do trajeto que realizava caminhando em estradas de chão batido buscando naquelas pessoas que muitas já não existem mais um colo, um sorriso e um afago. Era apenas o que queria de Natal.

domingo, 13 de dezembro de 2009

Somos Todos Um

Somente nesse instante senti
e indaguei sobre atitudes
 descompasssadas com minhas virtudes.
Serei eu, errada sem ética
diante da realidade subumana da qual estou
conveniente, consciente e omissa?
Sou eu verdadeira, sendo conduzida a cafajestada
ao mundo significante da realidade
inóspida,
fétida,
maléfica e
cibernética.
Seres humanos, amados
pertencentes ao microcosmo Planeta Terra,
olhai para os lírios brancos
visualizando a luz cósmica
sentindo a poeira suavizada pelo vento.
O calor do fogo humano fecundo,
amenizado pela garoa fina,
numa alquimia eficaz da apaixão
sentindo na cabala, os anjos volitarem
comungando orgasmos fluídos vibrantes
lá na terra de poucos e fome de muitos.
Andante, escutai o cantar dos pássaros,
o ruído do contemporâneo incrédulo,
ás águas do arroio aclamando pelo socorro,
o velho resmungando a solidão,
o novo sem perspectivas
e outros navegando nas cores do arco- íris.
Todos somos filhos Dele.
Dele somos reflexos.
Reflexos Dele somos.
Somos Dele filhos, todos.
Somos humanos. Humanos somos
Somos todos nós um.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009


GARATUJA

Fiquei perplexa com a figura humana
os olhos de nada refletiam momentos de garatuja
transmitiam através de rabiscos
o lado misterioso e primitivo da alma
carregando consigo quantos milhões de anos
os genes da sua raça humana.

Através dos átomos
dos elementos químicos, dos corpos celestes,
nuvem de átomos que a gravidade uniu
aos vários elementos tornando- se
o sistema solar, a Terra
e aquilo que está sobre ela
incluindo você, pequeno humano,
movido por carbono, oxigênio e hidrogênio.
Não, não é clonagem!
É apenas um ser em evolução.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Vídeo

video

Bendito és Tu

Bendito és Tu

Bendito és tu, andante no Planeta Terra.
Assoviando ao vento preocupações passageiras,
intercalando com a música da gaita do Benedito,
na rua Bento Gonçalves perto da praça central.
Fundamentalmente és tu, filho do Sol.
Encantado com as cores dos ipês amarelos
da avenida Brasil que acaba num funil
escutando ao longe os sinos da catedral.
Felizmente, sente o Vento do Sul.
Trazendo arrepios fulgurantes do terror noturno.
Balançando ao som da ciranda mística infantil.
Bendito és tu, andante do Planeta Terra.
Misteriosamente somos todos divinos e diabólicos.
Somos unidos pela raça humana visivilmente obscura.
Na certeza que todos os Santos possuem ocultos saberes
e em suas vestes vestindo o azul celeste com o abraço da mãe natureza.
Bendito és tu, andante no Planeta Terra.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

iniciando o blog

Boa tarde,
esta é a minha primeira postagem no blog, integrando o curso Tecnologias na Educação: Ensinando e aprendendo com as TIC, tendo como formadoras a Gerta e a Iara.